Arquiteta: Isve Campos

Com uma visão jovem e diferenciada, a arquiteta Isve Campos enfrentou o desafio de transformar o sobrado anexo ao Solar de Botafogo em um espaço singular, inovador, que além de servir de base para a equipe de administração do centro cultural, foi idealizado com o propósito de abrigar o Espaço II e uma sala multiuso, onde podem ser realizados diferentes eventos e exposições.

A porta que liga o anexo ao prédio principal foi transformada em um convidativo pórtico de entrada, que além de uma iluminação bem cuidada e o trabalho de paisagismo, conta ainda com uma singela parede de vidro que dá um toque especial e é um convite, quase irresistível, para que os pedestres da Rua General Polidoro entrem para conhecer o espaço.    

Na escada de acesso, os degraus transparentes decorados com pequenas bolinhas de isopor dão as boas vindas a esta nova área do Centro Cultural onde a arquiteta criou uma grande “sala de estar”, multifuncional e dinâmica. O mobiliário varia de acordo com o evento, podendo ser uma mesa de centro com poltronas confortáveis, ou peças para a composição de uma exposição.

O piso existente de tábua corrida mescla-se com o novo piso em chapa metálica, indicando os trajetos para o Espaço II e para a sala multiuso. Complementando o ambiente, um mezanino em estrutura metálica com guarda corpo cromado e vidro, proporcionado pelo pé direito duplo do sobrado, destina-se parte ao escritório da produção do Centro Cultural e parte à sala de equipamentos de luz e som do Espaço II. Para não ocupar muito espaço o seu acesso é feito através de uma escada do tipo “Santos Dumont”.

Com a criação desse novo espaço, descontraído, instigante e funcional, o Solar de Botafogo consegue mais uma vez realizar a sua vocação de interpretar através da arquitetura um pouco das artes plásticas, cênicas e cinematográficas.